A traição segundo o espiritismo —  Perdoar ou não?

A traição segundo o espiritismo —  Perdoar ou não?

A traição segundo o espiritismo —  Perdoar ou não?
3.7 (73.33%) 6 votes

Consequências da traição no Espiritismo e como o espiritismo explica a traição conjugal

A traição ainda hoje no mundo moderno é algo que traz grandes dissabores para diversos casais. Mas antes de entrar no campo dos dissabores, é importante relatar, que a traição amorosa é algo tão corriqueiro e ao mesmo tempo tão inquietante que muitos especialistas do comportamento humano se dispõem a pesquisar sobre isso.

Cada pessoa tem o seu livre arbítrio. Magnífica ferramenta que o Pai Celestial nos presenteou, mas a condição humana ainda não abriu os olhos para isso. Usa-se do livre arbítrio para ferir e degradar tudo e a todos que estão perto.

Orai e vigiai para que não caias em tentação, já dizia Jesus. Enquanto o ser humano se deixar levar pelas sensualidades, muitos desvios ainda serão cometidos.

Se é namoro, noivado ou casamento, o que  está em jogo é a condição moral daquele que trai. Quais seriam seus motivos? Imaturidade, não ter vivido tantas experiências amorosas? De quem é a culpa da traição? Será que vale a pena essa busca desenfreada por culpados?

A traição, o adultério, assim como qualquer outro delito na área do sentimento humano pode ser interpretado como uma imaturidade emocional (e espiritual, por que não?!).

Todos nós erramos em várias áreas da nossa vida, não vale a pena julgar a pessoa que erra.

Quanto ao que Jesus novamente nos ensina diante da convivência com as falhas humanas é: perdão. Perdoar setenta vezes sete, ou seja, quantas vezes for preciso.

O que o espiritismo fala sobre traição — Perdoar e reatar o laço afetivo?

traição segundo o espiritismo

Sim o Espiritismo nos ensina e estimula a perdoar a traição, mas isso não quer dizer que a pessoa deva manter o relacionamento. São duas coisas diferentes.

Deixe o seu coração e livre arbítrio lhe dizer se continua, ou não, o relacionamento. Até porque não é nada saudável manter um relacionamento afetivo se a pessoa que foi traída não consegue esquecer o acontecido.

Lembrar o acontecido não quer dizer que exista remorso, mas há uma quebra na confiança depositada no cônjuge, que dificilmente é reabastecida. Convenhamos que conviver com o fantasma da desconfiança é bem desconfortável.

Se a pessoa que foi traída consegue desfazer dos sentimentos do infeliz ocorrido, se ela está disposta a uma nova tentativa, que ótimo! Tente!

Consequências da traição na opinião do Espiritismo

o que o espiritismo fala sobre traição

A traição segundo o espiritismo e a literatura que ela traz, nos mostra que o rancor e todo o desentendimento causado pela traição geram conflitos, que podem perdurar diversas encarnações.

Débitos e cobranças de cônjuges, que por vezes tentam refazer a harmonia do infeliz ocorrido, sem sucesso. E tais débitos e cobranças não necessariamente precisam vir através de reencarnações de espíritos destinados a ser cônjuges novamente.

Nas sucessivas reencarnações as posições se modificam, criando novas situações de parentesco. Por exemplo, antes um casal desastroso; agora uma relação de pai/mãe e filho(a), onde há uma desarmonia para ser ajustada e assim, prosseguirem no caminho evolutivo do amor. Pois o que importa não são exatamente as posições de parentesco, que precisa de cuidado, mas o amor entre os espíritos.

Se houve traição, busquemos verdadeiramente nos arrepender dos atos cometidos. Aprendamos a pedir perdão para aqueles que ferimos. E a pessoa que foi ferida também tem o dever de perdoar, conforme Jesus pediu.

Se o relacionamento já não puder dar prosseguimento, então que possamos aprender com nossos erros e que possamos ser para outra pessoa, no futuro, tudo aquilo que não conseguimos ser para aquela a quem ferimos.

É assim que devemos entender a traição segundo o espiritismo.

Veja mais:

 

Gostou? Então COMPARTILHE!
Fechar Menu