Por que acontece aborto espontâneo e crianças que nascem mortas?

Por que acontece aborto espontâneo e crianças que nascem mortas?

Por que acontece aborto espontâneo e crianças que nascem mortas?
5 (100%) 2 vote[s]

Como os espíritas ou os simpatizantes dos ensinamentos espíritas podem conseguir a explicação do porquê que acontecem aborto espontâneo e crianças que nascem mortas?

Nossa intenção é que você não tome o que será descrito abaixo como uma regra suprema, não! Pois não podemos generalizar, já que cada caso é um caso. O que podemos fazer é abordar o assunto pelo que há de mais comum na literatura Espírita.

Toda vida é sagrada e preciosa para o mundo espiritual. O Espiritismo nos diz que, após a concepção, ocorre a fusão do espírito com a carne. Um espírito distinto gesta no útero da mãe. Enquanto algumas gravidezes são encerradas de forma natural ou anormal, a pergunta respondida pelo espírito Arnel ao Reverendo G. Vale Owen, é o que acontece com os bebês que nunca respiraram o ar fresco, fora do útero da mãe?

Arnel nos fala sobre as crianças que são criadas no mundo espiritual. Além disso, a literatura espírita relaciona, existem caminhos diferentes que podem ser tomados quando uma gravidez é interrompida.

Alguns espíritos são retirados do feto e colocados de volta ao seu corpo espiritual original. Eles podem ter sido originalmente atribuídos a uma determinada mãe, e se ocorrer um aborto espontâneo, eles podem esperar até a próxima oportunidade. Este pode ser o caso em que o espírito que espera nascer tem uma conexão com a mãe que precisa ser jogada em uma relação mãe a filho.

Veja mais:

5 técnicas para você lutar contra o seu crítico interno

Sapateiro fica chocado com revelação de um anjo após sua morte

As freiras endemoniadas de Loudun

Perispírito danificado

Não confundam o espírito com o perispírito! O perispírito é como uma “casca” que dá forma ao espírito. Imaginemos o espírito como um aspecto “vaporoso”; o perispírito envolve esse espírito e dá uma aparência ao espírito, que pode ser modificada de acordo com sua vontade.

No entanto, a maioria dos bebês que morrem logo após o nascimento ou são nascidos mortos fazem isso por algum motivo. O propósito reside na relação do espírito, do perispírito e do perispírito com o corpo. O perispírito conecta o corpo ao espírito. O perispírito pode influenciar o corpo como está se formando e mesmo durante a vida.

Quando uma pessoa prejudica seu próprio corpo através de um evento drástico, como um suicídio, eles não só prejudicam o vaso físico, mas também o perispírito.

Se uma pessoa se atirasse diante de um trem ou causasse uma devastação similar de um corpo físico, na tentativa de suicídio, as lesões para o perispírito são imensas. Somente um reinício do perispírito para uma forma humana normal pode garantir um nascimento seguro.

No livro Memórias de um Suicida, um instrutor conta a um grupo de espíritos como uma pessoa que sofreu ferimentos graves deve passar por certos passos para alcançar um nascimento e reencarnação bem sucedidos:

“Infelizmente, eles vão se reencarnar exatamente como estão! Nada pode ser feito para eles, exceto devolvê-los à carne. Essa é a terapia que lhes é imposta para corrigir o desequilíbrio geral de suas vibrações, criando assim uma espécie de “corrida experimental” para novas tentativas de crescimento no futuro.

Esta terapia, facilitada pelas orações que lhes são ministradas diariamente em correntes simpatizantes, gentis e benéficas emitidas a partir de sua parte, é tudo o que esses pobres irmãos e irmãs podem receber por enquanto, apesar do nosso grande desejo de vê-los serenos e felizes! “

“Corrida experimental” significa uma união do espírito ao corpo através do perispírito. Isso pode significar um nascimento ainda ou apenas um breve tempo viva fora do útero da mãe.

O perispírito deve ser perfeito para criar um humano saudável. Por isso, algum tipo de evento de nascimento deve ser usado para reparar o dano extenso.

Eu creio que o trecho da obra citada acima ajuda abrir a cabeça quando nós pensamos sobre o aborto espontâneo. Mas para deixar mais claro, convido você a entender o processo de uma forma mais simplificada, abaixo.

Veja mais:

7 possíveis aparições de espíritos diante das câmeras

Jovens Superdotados: como o espiritismo explica?

Porque suas orações não são atendidas?

Os problemas de explicar o porquê de um bebê nascer morto

De forma geral podemos arriscar a comentar o assunto baseando-nos em obras edificantes do Espiritismo, porém não dá pra generalizar. Generalizar é muito perigoso e podemos dar respostas a outras pessoas que deixe uma impressão de falsa-realidade.

O que sabemos é que tudo que acontece a uma pessoa, a um espírito ou a uma coletividade tem um motivo bem fundamentado pelo divino. Não cabe a nós colocar o nosso senso de justiça em comparação ao de Deus, pois somos ainda muito pequenos e nosso entendimento ainda não comporta entender todas as causas de forma racional.

Uma das possibilidades que a literatura Espírita nos mostra é que:

  1. Quando lesamos por nossa própria vontade o nosso corpo físico, isso acarreta danos também ao nosso perispírito ou seja, essa casca que envolve e dá forma ao nosso corpo astral. Ele feriu uma lei divina, atentando contra a própria vida;
  2. Feito isso, quando o espírito acorda após o dano causado, ele ainda se encontra com seu perispírito “manchado” por esse dano proposital.
  3. Agora ele terá que arcar com as consequências. Arrependido pelo infortúnio, pede humildemente a reencarnação para ser reparado o erro, porém os dados da tragédia ainda estão gravados no corpo astral;
  4. O principal mecanismo para que o espírito possa se libertar dessas impressões danosas é através das provas e expiações existentes na vida física;
  5. Não necessariamente ele terá que viver o tempo de uma reencarnação completa (70, 80, 90 anos);
  6. Um mecanismo eficiente são as encarnações de curto período, dentre elas estão as mortes prematuras ou crianças que já nascem desencarnadas pelo aborto espontâneo;
  7. A partir daí aquele espírito poderá reencarnar novamente de uma forma um pouco mais tranquila e quem sabe viver um pouco mais.

E os pais? Como eles ficam nessa história toda?

Certamente que é um choque para os pais receberem a notícia que, a tão esperada chegada de um filho não será concretizada, pois algo deu errado.

Mas você lembra o que dissemos logo acima?

(…) tudo que acontece a uma pessoa, a um espírito ou a uma coletividade tem um motivo bem fundamentado pelo divino.

Se esse espírito que precisava de uma encarnação breve foi recebida por esses pais é porque muito possivelmente esses mesmos pais precisavam passar por esta prova.

Lembrando que jamais devemos generalizar, pois a mesma problemática do aborto espontâneo e das crianças natimortas pode ter várias outras explicações.

Fonte:

  • Livro Memórias de um Suicida, Ivone
  • Livro Vida Além do Véu, Reverendo G. Vale Owen
Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu