Como a carência afetiva afeta a sua saúde?

Como a carência afetiva afeta a sua saúde?

Como a carência afetiva afeta a sua saúde?
4.8 (96.36%) 22 vote[s]

Carência afetiva: falta de alimento para sua alma

Uma pessoa pode realmente ficar doente porque não recebe atenção e carinho? A resposta é sim. Descubra por que aqui.

A privação afetiva é a origem de muitos dos nossos males.

Afinal de contas, as carícias nos curam. Abraços nos fazem sentir seguros e amados. Um olhar cheio de carinho é uma maneira de animar nossa alma.

Mas uma pessoa pode realmente adoecer porque não recebe esse tipo de afeto?

A resposta é sim.

Os seres humanos são sociais e emocionais. Precisamos de laços emocionais para sobreviver e nos validar como parte de um grupo.

Se nossas interações do dia a dia apresentam egoísmo, frieza, engano ou desconfiança, isso afeta nossa auto-estima.

Depois, gradualmente caímos em uma lenta e descendente espiral de destruição. Acabamos duvidando de nós mesmos. Por exemplo, nos perguntamos: “Eu mereço ser amado ou respeitado?

Esse tipo de pensamento nos leva a cair em um estado de indefeso. Nossas defesas caem, nosso sistema imunológico enfraquece e a terrível sombra da depressão aparece.

Carência afetiva: buracos em nossa identidade

carencia emocional identidade

Somos ensinados a ser fortes durante toda a nossa vida e, mais ainda, durante a nossa infância e adolescência. No entanto, existem famílias que entendem mal o conceito de força emocional. Lembre-se desses seguintes pontos:

  • Uma criança não ficará forte se não receber abraços, beijos ou carinho, mesmo que alguns possam ver isso como “fraqueza”.
  • Um adolescente não se tornará um adulto forte se for ensinado a reprimir suas emoções.
  • Da mesma forma, eles não serão fortes se forem criticados por chorar “porque apenas crianças choram” ou porque “ser um adulto significa resolver problemas por conta própria sem pedir a ajuda de ninguém”.
  • Este tipo de abordagem educacional é prejudicial e perigoso. Uma criança que cresce sem afeição de seus entes queridos chega a pensar que o mundo é um lugar hostil no qual eles devem se defender.
  • Mais cedo ou mais tarde, essa criança pode se tornar hostil ou desenvolver problemas de raiva.
  • Da mesma forma, se os jovens não experimentarem empatia e proximidade, eles acabarão se desconectando do mundo. Eles vão colocar muros emocionais para se trancarem em seus próprios universos.
  • Isso é extremamente prejudicial e problemático. Pessoas que estão constantemente presas ao resto do mundo acabam desenvolvendo distúrbios alimentares, abusando de drogas e mantendo amigos ruins, etc.

Por outro lado, os sinais de carência afetiva aparecem em outras idades.

Há momentos em nossa vida em que nossa força aparente vem à tona. Isso geralmente ocorre quando as pessoas que são importantes para nós aplicam o que é conhecido na psicologia como “traços negativos”.

Nós falaremos mais sobre eles abaixo.

A carência afetiva transmitida através da linguagem

Às vezes, uma palavra dói mais que um golpe ou um impacto direto em nosso corpo. A linguagem é uma maneira poderosa de comunicar emoções e interações para construir laços saudáveis, dignos e felizes. Lembre-se:

  • Se nossos entes queridos se comunicarem conosco gritando ou forem continuamente negativos, sentiremos uma dor emocional que tem consequências.
  • Além de palavras respeitosas, positivas e significativas, precisamos nos sentir ouvidos e compreendidos.
  • A entrega de uma mensagem não é a única parte da comunicação. Também é necessário que as pessoas envolvidas pratiquem uma escuta ativa, empática e construtiva.

Carência afetiva nos relacionamentos — Um relacionamento sem sinais de afeto não é genuíno

carencia emocional superar

O amor que não envolve carícias diárias ou simples e pequenas, mas poderosas demonstrações de afeto, gradualmente desaparece. Ou isso, ou acaba não levando a um relacionamento completo e satisfatório.

Um relacionamento romântico não significa apenas coexistir entre si e compartilhar os mesmos espaços, responsabilidades ou cama. Em vez disso, é necessário prestar atenção às pequenas coisas no relacionamento para construir um vínculo autêntico.

Um olhar de admiração, uma inesperada carícia, um abraço e uma busca pela proximidade mútua nos fazem sentir felizes e seguros.

A carência afetiva pode afetar nossa saúde!

Pode parecer estranho, mas há momentos em nossa vida em que nos acostumamos a não sermos abraçados. Nós nos acostumamos a não sermos beijados, acariciados ou não recebermos afirmações positivas.

Dizemos a nós mesmos que estamos bem e que nosso relacionamento atingiu a data de vencimento. Podemos até dizer a nós mesmos que nossos filhos são velhos demais para essas coisas.

No entanto, isso pode não ser verdade. Acostumar-se a uma vida emocionalmente vazia não está realmente acontecendo. Uma vida assim pode levar à depressão porque nos sentimos vazios, exaustos, sozinhos e subvalorizados.

Lembre-se sempre que nossas almas precisam de carinho, carícias emocionais e palavras positivas para viver plenamente.

Vamos colocar isso em prática.

Fonte: Emotional Deprivation: a Lack of Food for Your Soul. Disponível em: https://steptohealth.com/emotional-deprivation-lack-food-soul/

Tags adicionais: carencia afetiva, afeta a saude, atinge a saude, carencia afetiva nos relacionamentos, como fugir da carencia emocional, carente de amor, carente de afeto, como lidar com a carencia, carencia afetiva sintomas, carencia afetiva feminina, como parar de ser carente, carencia afetiva consequencias.

Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu