Como lidar com espíritos levianos e zombeteiros?

Como lidar com espíritos levianos e zombeteiros?

Os Espíritos superiores, como os homens sérios entre nós, não gostam de fazer travessuras. Muitas vezes interpelamos esses Espíritos zombeteiros sobre o motivo de perturbarem o sossego alheio.

A maioria quer apenas divertir-se. São espíritos antes levianos do que maus. Riem dos sustos que pregam e do trabalho que dão para descobrir a causa do tumulto.

Muitas vezes apegam-se a uma pessoa e se divertem a incomodá-la por toda parte. De outras vezes se apegam a um lugar por simples capricho.

Ver mais: Os Espíritos Puros segundo o Espiritismo: como nos tornaremos um deles?

Algumas vezes também se trata de uma vingança, como veremos.

Em certos casos sua intenção é a mais louvável: querem chamar a atenção e estabelecer comunicação, seja para transmitir à pessoa um aviso útil, seja para fazer um pedido.

Vimo-los muitas vezes pedir preces, o cumprimento de um voto que em vida não puderam realizar, e outros quererem, para o seu próprio sossego, reparar uma maldade praticada em vida.

Ver mais: Os espíritos também esquecem de nomes e datas exatas?

Em geral, é um erro amedrontar-se com a sua presença que pode ser importuna mas não perigosa. Compreende-se o desejo de livrar-se deles, mas para isso geralmente se faz o contrário do que se deve.

Quando se trata de Espíritos que se divertem, quanto mais se levá-los a sério, mais persistirão, como as crianças traquinas que impacientam as pessoas e assustam os medrosos.

Se, pelo contrário, as pessoas também rirem com as suas peças, acabaram por se cansar e deixá-las em paz.

Ver mais: É possível acontecer aparições de espíritos para nos dar avisos?

Conhecemos alguém que em vez de se irritar os excitava, os desafiava a fazer isto ou aquilo,de maneira que em alguns dias se afastaram. Mas como dissemos, há os que agem por motivos menos frívolos.

Por isso é sempre útil saber o que eles desejam. Se pedirem alguma coisa, é certo que cessarão suas visitas quando forem satisfeitos.

O melhor meio de informação é evocá-los através de um bom médium escrevente. Pelas suas respostas, logo se verá quem são e se poderá agir convenientemente.

Ver mais: O poder da água no mundo dos espíritos – O que você não sabe!

Se for um Espírito infeliz, a caridade manda tratá-lo com as atenções que merece; se um brincalhão, pode tratá-lo sem rodeios; se um malvado, deve pedir a Deus que o melhore. Em todos os casos a prece só pode dar bons resultados.

Mas a solenidade das fórmulas de exorcismo lhes provoca o riso: não lhe dão nenhuma importância.

Se puder entrar em comunicação com eles, é preciso desconfiar dos qualificativos burlescos ou assustadores que algumas vezes se dão, para se divertirem com a credulidade dos ouvintes.

Fonte: O Livro dos Médiuns

Ver mais: Relato de 2 irmãos que convivem com espíritos malfazejos desde a infância

<!–OffMiddle–> <!–OffEnd–>

Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu