Coronavírus na visão Espírita por Divaldo Franco e André Marouço

Nesta matéria trataremos sobre a opinião do Espiritismo sobre o coronavírus, tomando como base a opinião de alguns estudiosos espíritas.

O coronavírus de ontem e hoje

Vamos começar explicando quem são esses “coronavírus“. Esses vírus infectam alguns animais. Mas que tipo de animais? São aves, morcegos, porcos e até camelôs. E alguns deles só ficam infectando aves e mamíferos, mas depois foi visto que chegaram a causar infecção humana.

O problema é que os vírus costumam sofrer mutações e foi o que aconteceu para que este vírus tornasse possível infectar a espécie humana. Aí pessoas adquiriram o vírus tiveram infectadas suas vias respiratórias. Daí então ele é transmitido da mesma forma que os resfriados e as gripes.

As pessoas tossem, espirram, assoam o nariz, ficam com o vírus na mão. Daí elas, por exemplo, te cumprimentam, apertam-se as mãos e você pega na mão leva a mão no nariz na boca ou nos olhos e, então, você adquire a doença.

Os coronavírus podem provocar sintomas muito variados. Houve algumas epidemias mais graves de coronavírus. Por exemplo, em 2002, que apareceu lá na la no continente asiático e que teve um grande número de mortes por lá. Houve uma outra que apareceu no Oriente Médio em 2013, se não me engano, e também causou problemas e mortes.

Como dissemos, o novo agente do coronavírus foi descoberto no final de 2019, após casos registrados na China e provoca a doença chamada de COVID-19. Ainda não há vacina ou medicamentos específicos disponíveis e, atualmente, o tratamento é de suporte e inespecífico.

Veja mais: Como o Espiritismo pode nos ajudar a vencer e evitar as doenças?

Segundo os Espíritas, o coronavírus é uma expiação coletiva?

Todo e qualquer doença que se espalha no Planeta Terra, é uma oportunidade que nós temos de aprendizado. Nós costumamos a ver as coisas apenas e tão somente com os olhos do medo, da neurose, quando em verdade nós deveremos ver tudo aquilo que há de positivo por trás do acontecimento.

Esse não é o primeiro vírus, nem será o último. Nós passamos pela gripe espanhola, nós passamos pela peste negra, nós passamos pela hanseníase. Enfim, na história humana tantos e tantos foram os acontecimentos de ordem viral que se deram e nós aqui estamos.

Nós estamos temendo esse vírus como se fosse a extinção da raça humana. É absolutamente natural que se dê estas mutações virais e elas fazem parte do nosso processo evolutivo, até para que possamos aprender com isso e desenvolver novos hábitos.

Tudo está numa ordem divina. Até no Alcorão nós encontramos a frase: “não cai uma folha de uma árvore sem que o pai celestial autorize”. E no O Livro dos Espíritos, lá no capítulo que fala dos “atributos da divindade”, nós encontramos que deus sabe de tudo, pois ele é onipresente e onisciente.

Se Deus é onisciente e onipresente, então houve uma autorização da espiritualidade para que este vírus, naturalmente no processo natural se estabelecesse entre nós de tal forma que nós ganhássemos algo com este processo.

Baseado na fala de André Marouço no canal do YouTube “TV Mundo Maior”.

Veja mais: Doenças e suas causas espirituais — Como evitar o adoecimento?

A mentalidade negativa da coletividade e disseminação do coronavírus

Será que os nossos pensamentos contribuem para que haja a disseminação e contaminação com o coronavírus?

Quando os pensamentos são negativos a energia fica densa, ocasionando uma um grande desequilíbrio. Será que isso pode gerar uma atmosfera doentia?

O poeta Juvenal nos trouxe a frase: “mente sã, corpo são”. A mente ela é responsável pela manutenção é de todo o organismo, então se nós temos bons pensamentos, se nós não guardamos a mágoa, quando nós procuramos enxergar a vida de uma forma mais leve, se nós procuramos o otimismo ao invés é do pessimismo, naturalmente o nosso organismo funciona de forma mais cadenciada.

André Luiz nos trouxe, através da psicografia de Francisco Cândido Xavier, os conhecimentos sobre a psicosfera, que é o produto das nossas emanações mentais.

Como é que estão sendo os nossos pensamentos? Nós sabemos que em provas e expiações, que é o estágio em que nos encontramos hoje, há muito pensamento nocivo sendo produzido pelas criaturas: ódio, vingança, crueldade, sexolatria… enfim, é uma série de descaminhos que ainda se abrigam no nosso psiquismo.

Veja mais: O poder do pensamento positivo para a nossa saúde

Isso tudo faz com que haja uma matéria densa, energética, que vai contaminando esta psicosfera e a nossa mente é uma espécie de antena transmissora e receptora. E na mesma faixa que ela transmite, ela recebe.

Então, se você está o tempo inteiro com derrotismo, pessimismo, com mágoa, ressentimento, com ódio, com orgulho, com vaidade, naturalmente você não só está intoxicando o seu organismo, como também está adquirindo vibrações da mesma ordem.

Desse modo, algumas pessoas que podem adquirir a infecção com o coronavírus podem ou não desenvolver os sintomas mais ou menos graves da COVID-19 de acordo com a sua sintonia mental, que pode enfraquecer ou fortalecer o sistema imunológico do indivíduo.

Baseado na fala de André Marouço no canal do YouTube “TV Mundo Maior”.

Veja mais: Como controlar as emoções negativas – 4 dicas simples

A fé pode ajudar a nos defender do coronavírus?

Fé, Espiritismo e coronavírus: será que crer em Deus e Jesus nos faria ficar imunes ao coronavírus?

Depende como é que o exercício de nossa fé. Se nós cremos firmemente em Deus, em Jesus, na espiritualidade superior, se nós vamos toda semana na igreja, no centro espírita; mas por outro lado ainda nos lembramos de coisas negativas que fizeram conosco há dois anos atrás, por exemplo …

Se ainda aguardamos mágoa e ressentimento, ainda assistimos, por exemplo, aqueles programas policiais que jorram sangue na tela da TV e se, especialmente, não fizermos aquilo que os médicos e os cientistas estão nos dizendo: a lavagem das mãos, higienização com álcool gel, etc, de nada vai adiantar.

Na história, por exemplo, dos apóstolos, eles conviviam com criaturas que estavam em processos infecciosos e em processos virais bastante agressivos como, por exemplo, a lepra, e não adoeciam. E a higiene daquela época não pode ser comparada com a higiene de agora.

Então, o que havia ali era quase que uma vacina espiritual. Havia o desejo sincero de servir, o amor presente naquelas criaturas faziam com que naturalmente elas não encontrassem guarida para estes vírus.

Veja mais: Uso de remédios e religião: abandonar ou não os medicamentos?

Quando nós conseguirmos além de higienizar o nosso corpo por fora e por dentro, ou seja, se utilizarmos os nossos pensamentos as coisas irão mudar para melhor e nós sofremos bem menos com esses vírus.

A fé e extremamente necessária, mas não é preciso que vivamos como fanáticos religiosos, achando que nenhuma prevenção ou precaução a mais deva ser tomada. Devemos cuidar do nosso corpo e do espírito, ou seja, das coisas materiais e das espirituais.

Baseado na fala de André Marouço no canal do YouTube “TV Mundo Maior”.

Divaldo Franco fala sobre a visão Espírita sobre o coronavírus

opinião espírita de divaldo franco coronavirus
Fala de Divaldo Franco sobre a pandemia do coronavírus, na 22ª Conferência Estadual Espírita FEP Paraná

Divaldo Franco foi entrevistado e perguntado sobre a opinião espírita da pandemia do coronavírus.

Divaldo responde que o evento faz parte do próprio progresso cultural do planeta.

Em um dos livros de Allan Kardec, chamado A Gênese, no capitulo 18, ele assevera, desde então, em 1868, que a humanidade passaria por uma grande prova, uma mudança, mas uma mudança de valores que seria abandonar a Terra convulsionada para viver num mundo melhor.

Nós chamamos a situação ético moral da Terra como um mundo de provas e expiações, de dores. É uma escola.

As tradições dizem que ela (a Terra) é um vale de lágrimas, que é o inferno… nada disso! É uma escola, educandário de valores, onde existem alegrias e tristezas, mas também ela evolui junto com as criaturas que albergam, como uma escola que recebe o infante, mas também o homem que vai educar as massas.

Então, nós estamos nesse processo de mudança de um mundo de provas para o mundo de regeneração. Como criaturas humanas seremos melhores e a dor fugirá envergonhada, porque os nossos valores éticos serão superiores às nossas tendências negativas.

Baseado em entrevista com Divaldo Franco.

Veja mais: Como entender a Transição Planetária (por Divaldo Franco)

Segundo o Espiritismo, o coronavírus deixa-nos numa situação de crise. Será que isso tem algum significado para a humanidade?

A palavra crise vem significar que antes de um grande salto haverá um problema. Essas crises nos ajudam a evoluir.

Então, esta é uma crise inesperada, porém providencial para chamar as criaturas todas do mundo de que os valores mais resistentes são os valores do ser.

As nações mais poderosas, hoje, fecham as suas fronteiras por causa de um vírus que até há pouco tempo era praticamente insignificante e, de repente, ele adquire uma ferocidade assustadora. Mas que também a imprensa, sem nenhuma intenção maléfica, está divulgando de uma forma assustadora e quase provocando pânico em muitos países.

Divaldo Franco (em entrevista).

Então, o Espiritismo verifica (o coronavíruis/COVID-19) como fenômeno natural.

Sempre houve epidemias, pandemias, aquelas que foram controladas pelas vacinas e as novas. Creio que são fenômenos da própria evolução do planeta e chegará o dia em que tudo isso será superado.

Divaldo Franco (em entrevista).

O que Divaldo Franco pensa sobre a pandemia do coronavírus?

As falas abaixo sobre o coronavírus foram pronunciadas por Divaldo Franco, na 22ª Conferência Estadual Espírita FEP Paraná.

“Nos dias em que vivemos, eu (Divaldo), tenho a impressão é de que um anjo enviado pelo senhor, compadecido infinitamente da miserabilidade do ser terrestre trouxe um pequeno monstro invisível a olho nu, que foi soprado sobre a Terra a fim de que as nossas paixões pudessem temê-lo, porque nenhuma arma seria capaz de o vencer nas primeiras movimentações do planeta em todas as nações.

Penso que esse vírus, vitalizado pelos pensamentos desarvorados das criaturas humanas, pelas ideias de ódio, de presunção, pelos desejos vãos da falsa expectativa da eternidade para o corpo, sempre frágil, que pode ser consumido por um alfinete infectado, pela picada de uma serpente, ou pela picada de um inseto.

Eu tenho a impressão que o coronavírus foi o segundo elemento que Deus mandou, recentemente, apiedados de uma guerra calamitosa e total e que o planeta terrestre atrasaria infinitamente o seu processo evolutivo.

Então, a guerra nuclear que atingiria algumas das nações poderosas e arrastaria as demais na sua caudal de misérias foi substituído o esse vírus invisível, que nos ataca a todos, em particular àqueles que, talvez, por uma afinidade psíquica, nesse mundo no qual nós somos cocriadores com o criador para nos chamar atenção e respeitar as soberanas leis, porque nenhum de nós é capaz de imaginar a gravidade dos dias e que nós estamos vivendo”.

Veja mais: Divaldo Franco conta como começou a falar com o além

Gostou? Então COMPARTILHE!
Avatar

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.