A depressão na visão espírita

A depressão na visão espírita

A depressão na visão espírita
4 (80%) 5 votes

A depressão na visão espírita — Quando sua alma pede ajuda!

A depressão segundo o Espiritismo, não deve ser encarada apenas como uma doença clínica. Como o autor Francisco Cajazeiras intitula seu próprio livro “Depressão, doença da alma”, realmente não consigo ver diferente. É realmente uma doença da alma, mas se pudermos ser reflexivos, podemos tirar algum proveito dessa doença e vermos uma oportunidade. Calma!

Explicarei o que quero dizer, quando falo em oportunidade.

Espiritismo e depressão — Uma relação perfeitamente explicável

Primeiro, peço que siga uma analogia: ter febre é uma coisa incômoda, certo? Mas a febre por outro lado pode ser encarada como uma coisa positiva. Ela indica que algo em nosso corpo está errado, que talvez exista alguma infecção viral ou bacteriana. A febre é uma espécie de “alarme” sintomatológico, que nos avisa sobre algo muito mais prejudicial, que pode estar afetando nosso corpo.

Para combatermos efetivamente com a febre, temos que agir sobre a raiz do problema, devemos agir sobre a infecção. Quando usamos alguma estratégia para combatermos somente o estado febril, não estamos agindo sobre a patologia primária, portanto, a febre pode até passar, mas no dia seguinte, mais cedo ou mais tarde, ela retorna.

A depressão segundo o Espiritismo — Um grito de socorro!

Se você concorda que a depressão é uma doença da alma, então deveríamos buscar a fonte da problemática em nossa alma, no nosso íntimo. Podemos entender a depressão como um grito de socorro da alma, que o corpo somatiza através de sensações desagradabilíssimas. E, assim como a febre, agir somente contra a sintomatologia externa (tristeza, desânimo e pensamentos desordenados), não será o suficiente. Existe algo a mais a ser feito, é preciso restaurar as feridas da alma.

A depressão na visão espírita — Investigando as causas

depressao e espiritismo 4

Quem sabe, para o espírito encarnado, a depressão de uma pessoa seja, assim como a febre, um sinal de alerta. Há algo na vida que precisa de reparos, precisando mudar algo.

A avareza; a inveja; o narcisismo exacerbado; os vícios; a vaidade; o orgulho; a arrogância; a ira; intolerância; a criança interna, que não cresceu e tem dificuldades em lidar com frustrações, e tantos outros mais. Qual desses elementos ou outros que não cheguei a citar você carrega na sua personalidade? Você teria humildade o suficiente para identifica-los em si mesmo?

Veja bem, não precisaria você sair por aí falando de si mesmo de forma negativa diante de terceiros, apenas reflita em pensamentos e identifique algo que não esteja correto em sua vida e reflita sobre isso.

A depressão na visão espírita — O Centro Espírita cura a depressão?

depressão segundo espiritismo 2

 

Espiritismo e depressão: será que o Centro Espírita pode te ajudar?

O centro espírita em si não tem capacidade para isso. O que existe lá dentro sim, pode te auxiliar a caminho da cura. Isso não é uma promessa! Até porque a cura da depressão, quando está envolvida casos de obsessão espiritual instalada há muito tempo, demandará recursos que só o próprio enfermo poderá manipular.

Já ouvi muitas pessoas falarem que a depressão não tem cura. Inclusive li relatos de pessoas na internet, falando que foram para igrejas, inúmeros centros espíritas, pais de santo, pastores e padres e não tiveram seu problema resolvido.

Mas vale atentar que, as pessoas que falaram isso não deram detalhes sobre como estavam levando a vida, se tinham vícios, pois preferem ignorar a trave entre os próprios olhos. E digo mais, muitas pessoas preferem os imediatismos, algo como uma reza milagrosa que lhe retire o obstáculo no mesmo segundo. As pessoas adentram uma igreja ou qualquer outro templo, mal absorvem a filosofia dali e já saem falando mal desta ou daquela doutrina.

Logo mais nos últimos parágrafos citarei os recursos que existem nos centros espíritas que você poderá fazer uso gratuitamente, ajudando no processo de cura.

A depressão segundo o Espiritismo pode ser muito bem explicada e tratada. A cura existe e o enfermo não precisa perpetuar esse sofrimento.

A depressão na visão espírita — Tratamento da depressão pelo Espiritismo

depressao na visao espirita 2

Espiritismo e depressão: A reforma íntima é o ponto-chave!

A reforma íntima é o caminho. Essa espécie de reforma não serviria somente para a cura de uma depressão, mas para o resgate de uma vida inteira de infortúnios. A reforma íntima é o pilar central da cura de qualquer indivíduo, para qualquer doença em que a alma seja a principal acometida.

A reforma íntima é o principal remédio que não compete ao psiquiatra, médico, médium da casa espírita, padre, pastor ou monge precisarem te receitar. É um remédio que depende somente do próprio indivíduo querer começar a tomar. A reforma íntima é um compromisso. E mais. Não é dose única ou se assemelha a um tratamento de alguns meses. É para a vida inteira.

A reforma íntima é o ato de se modificar por dentro, aprendendo a reconhecer os erros, os próprios defeitos, tentar corrigi-los. Se os erros já não podem ser corrigidos, pode-se policiar para que não se repita e assim por diante.

A depressão na visão espírita — Os recursos disponíveis nos centros espíritas para ajudar a curar a depressão

depressão segundo o espiritismo 2

Em primeiro lugar quero deixar claro que qualquer prática religiosa pode (e deve) ser usada como um complemento no tratamento dos transtornos psíquicos, mas não se deve interromper tratamentos já em andamento.

Existem vários centros espíritas espalhados por aí, cada um com formas muito semelhantes de atuar, outros, com uma atuação mais diferenciada, porém não menos importante.

A pessoa que sofre de transtornos psíquicos, tendo encontrado uma casa espírita, com bons trabalhadores poderá ser encaminhado para o início do seu tratamento. Vale lembrar que, mesmo que a causa raiz dos transtornos psíquicos não esteja exatamente relacionado com o início da mediunidade, não minimiza o fato de que a pessoa terá que passar pelo tratamento espiritual. Ela será, do mesmo modo, incluída e amparada.

No site Portal do Espírito, o Grupo Apóstolo Paulo descreve 10 principais serviços que geralmente são encontrados nas casas espíritas, reforçando, inicialmente, que não existe obrigatoriedade de todos os serviços serem encontrados em uma casa, nem uma uniformidade no funcionamento dos mesmos.

Desses 10 recursos, aqui no blog destacaremos os 7 principais que julgamos mais imediatos à entrada do enfermo na casa espírita:

1. “Recepção: aquele que chega pela primeira vez no centro espírita geralmente tem uma série de dúvidas a respeito do funcionamento da casa. É necessário que a pessoa responsável pela recepção tenha total conhecimento das atividades da casa e que se mantenha simpática em todos os momentos. Precisamos lembrar que a recepção é o primeiro contato do visitante com o centro espírita. E quase sempre é a primeira impressão que cativará ou afastará o público do grupo”.

2. “Palestras: é o principal trabalho de uma casa espírita (veja exemplos de palestras escritas). O ser humano só consegue libertar-se de seus vícios morais ou materiais quando se esclarece dos malefícios que os mesmos trazem para sua existência. É através das palestras que os oradores conseguem levar o conhecimento espiritual existente na Doutrina Espírita”.

3. “Atendimento particular: chamado em alguns centros espíritas de consulta ou entrevista, este trabalho visa orientar e ajudar espiritualmente pessoas detentoras de problemas mais graves, e quando necessário, submetê-las a um tratamento espiritual. Em uma sala reservada, um atendente e um auxiliar (trabalhadores experientes da casa) receberão para uma conversa íntima indivíduos desajustados emocionalmente, desesperados, com dificuldades familiares, amorosas, financeiras, desiludidos da vida”.

espiritismo e depressão 2

4. “Reunião mediúnica: trata-se de uma reunião íntima onde apenas participam os médiuns (pessoas com maior capacidade de sentir a influência dos Espíritos) da casa e algum trabalhador auxiliar, pois ali muitas vezes serão tratados assuntos que dizem respeito à vida particular de pessoas que buscaram auxílio no centro espírita. Depois
de passarem pela sala de atendimento, e verificadas possíveis influências espirituais (obsessão), os casos serão levados às reuniões mediúnicas, ou de desobsessão.

Nestas reuniões, o dirigente da sessão fará o que Allan Kardec denominou de evocação, ou seja: solicitará a Jesus e aos Espíritos superiores que permitam a manifestação da entidade espiritual que está acompanhando determinado ser.”

5. “Tratamento espiritual: todo aquele em que foi diagnosticada uma influência espiritual (obsessão) deverá passar por um tratamento espiritual. Ele consiste na aplicação de passes semanais, a ingestão de água fluidificada e o acompanhamento das palestras no centro espírita, buscando a análise constante das imperfeições que possibilitaram à má influência instalar-se ao seu lado, tentando melhorar-se moralmente a cada dia”.

6. Passes: os passes são transmissões de fluidos de um ser para outro através das mãos. Os fluidos são energias que fazem parte da estrutura material e espiritual dos seres. Nos centros espíritas é aconselhável que os médiuns passistas tenham uma vida regrada, sem os vícios já citados no item “Reuniões mediúnicas”.

7. Estudo doutrinário: é indispensável ao bom funcionamento do centro espírita o estudo semanal da Obras Básicas da Doutrina Espírita. Para os Estudo doutrinário: é indispensável ao bom funcionamento do centro espírita o estudo semanal da Obras Básicas da Doutrina Espírita. Para os trabalhadores em geral, é aconselhável a leitura de “O Livro dos Espíritos” e de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”.

Veja mais:

Gostou? Então COMPARTILHE!
Fechar Menu