Fofocas e maledicências: o que o Espiritismo pensa sobre isso?

Fofocas e maledicências: o que o Espiritismo pensa sobre isso?

Fofocas e maledicências: o que o Espiritismo pensa sobre isso?
3.5 (70%) 2 vote[s]

Na presente postagem você aprenderá como o verdadeiro espírita deve agir diante de uma fofoca:

Infelizmente, a fofoca é uma realidade que está impregnada em todos os meandros da vida social: nas reuniões familiares, nas festas, nos encontros de amigos num barzinho, nos corredores das escolas e faculdades, no ambiente profissional, etc.

Está tão impregnada que já se perdeu a noção da sua maldade. E, como é bom lembrar, a fofoca, mesmo que seja leviana, dita sem grandes pretensões, provoca um grande mal.

Sempre que interrogado a respeito de alguém, forneça impressões positivas. Na impossibilidade de fazê-la, porque a pessoa tenha uma conduta irregular, silencie ou elucide com bondade, evitando piorar-lhe a situação ou torná-la mais divulgada.
Não és fiscal do comportamento alheio, nem podes imaginar se aquele equivocado de ontem, não se encontra hoje em processo de recuperação. Sejam tuas a opinião que edifica e a palavra que ajuda sempre.

da obra Vida Feliz, pelo Espírito Joanna de Ângelis

Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu