O Mestre e o Túnel – Uma lição para pessoas em desespero

O Mestre e o Túnel – Uma lição para pessoas em desespero

Nesta história você provavelmente se identificará com uma mulher em estado de desespero e um guru, com uma ideia um tanto incomum.

Uma mulher estava bastante abalada com seus problemas atuais. Encontrava-se depressiva, tomava medicamentos e não via mais saída para a sua situação. O suicídio era uma opção desde muito tempo, mas nunca teve coragem de tirar sua vida.

Certo dia, resolveu procurar um guru oriental que muitos tinham como um verdadeiro mestre. Foi então visitar o guru no mosteiro onde ele vivia. Assim que encontrou o mestre, contou sua situação e pediu:

– Querido guru, por favor, me dê uma orientação sobre a minha vida. A única coisa que vejo é escuridão.

– Encontre-me amanhã de manhã no alto desta colina. Quero te mostrar uma coisa, disse o mestre.

Veja mais: Casos de Chico Xavier – Chico e a história da chave de casa

A mulher esperou até o dia seguinte, e assim que o dia raiou, foi encontrar com o mestre ansiosa pela resposta.

Logo que chegou no alto da colina, observou o mestre em frente a um túnel escuro.

– Peço que entre por este túnel, até a parte mais escura do mesmo. Mas não pare de caminhar. Aconteça o que acontecer, continue caminhando.

A mulher, sem entender nada, confiou e fez o que o mestre pediu. Adentrou no interior do túnel, que ainda estava iluminado pelos raios de sol. Conforme ela foi penetrando na parte interna do túnel, percebeu que a luz estava começando a se enfraquecer.

Entrou ainda mais fundo, e quase não mais conseguia se ver ou ver qualquer coisa lá dentro. Começou então a sentir medo. Não sabia o que continha ali no interior do túnel. Talvez um bicho viesse atacá-la, ou poderia topar numa pedra, cair e machucar-se.

Veja mais: 4 Leis Espirituais ensinadas na Índia que farão sua vida ficar mais leve

Começou a suar e tremer descontroladamente. Imaginou-se sendo atacada por animais, sendo picada por cobras ou aranhas, etc. Pensou também se tudo aquilo não passou de uma armadilha do suposto sábio para estupra-la.

Na escuridão, na hora do temor, sua imaginação foi bem longe. Inevitavelmente comparou a situação atual de sua vida com aquela escuridão tenebrosa. Porém, reuniu os últimos resquícios de coragem, e lembrou-se das palavras do sábio que a havia orientado a não parar no caminho, a seguir em frente, caminhando, independente de qualquer coisa.

Então fez isto, continuou percorrendo o túnel, mesmo sem nada enxergar. Andou alguns quilômetros e começou a ver uma pequena brecha de luz a frente. Continuou mantendo o mesmo passo.

Veja mais: Como podemos nos livrar das tentações e das investidas do mal?

A luz foi aumentando, e logo se revelou como sendo a saída do túnel. Voltou a enxergar-se e a ver tudo, e finalmente saiu do túnel.

Assim que saiu, deparou-se com o guru, com um sorriso no rosto.

– Mestre, disse ela, não compreendi por que tive que atravessar este túnel. Por que me fizeste passar por essa escuridão?

O mestre respondeu:

– Para que pudesse ter contato com a luz no final do túnel. Observe que você iniciou sua jornada dentro do túnel, chegou a região mais escura de sua travessia e assim que você cruzou a metade do caminho, viu um ponto luminoso mostrando a saída.

Você quase desistiu de caminhar, paralisada pelo medo e por outras travas emocionais. Isso é o que costuma acontecer com a maioria das pessoas quando se deparam com a escuridão. Elas param ali, ficam imobilizadas e até entorpecidas por conta do medo e da cegueira da escuridão, das névoas da ignorância.

Veja mais: Como saber se um ente querido desencarnado está querendo se comunicar com você?

Nossa mente começa a viajar e imaginamos muito mais problemas e perigos do que de fato existem. A escuridão faz a mente ver riscos e sofrimentos onde nada existe.

Mas quando se insiste em seguir a trajetória com firmeza, sem desistir, mesmo na escuridão, saímos da região central do túnel e vislumbramos a luz que sempre, e afirmo, sempre… brilha do outro lado.

Jamais se esqueça desta lei natural da vida: quando chegamos ao ponto mais escuro do túnel, estamos iniciando o caminho da saída.

O mesmo ocorre em nossa vida: assim que chegamos ao ápice da escuridão, caso continuemos caminhando, um pequeno facho de luz é avistado, e se persistimos, encontraremos certamente a luz que dissipa as trevas.

Autoria do texto: Hugo Lapa.

Veja mais: Filho fala sobre manias e detalhes em carta psicografada e a mãe confirma

Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu