Justiça nega pedido de dentista para ser reconhecido como filho adotivo de Chico Xavier

Justiça nega pedido de dentista para ser reconhecido como filho adotivo de Chico Xavier

Tudo indica que o médium Chico Xavier nunca teve a intenção em assumir a paternidade.

Segundo o G1, Eurípedes Higino nasceu em Ituiutaba, em 1950, viveu com o pai biológico até os cinco anos de idade, até que ele faleceu.

Aos sete anos, o médium Chico Xavier passou a conviver semanalmente com o Eurípedes e, finalmente, aos oito anos de idade, o médium pediu para que Eurípedes passasse a residir na casa dele.

Segundo Eurípedes, hoje com 69 anos, o convívio com Chico Xavier era típico de uma família desde 1957, até o falecimento do médium em 2002.

Eurípedes ainda conta que Chico o considerava como um “filho de coração” e o apresentava a todos como um filho, inclusive para a imprensa.

No pedido de Eurípedes à Justiça, além do reconhecimento da paternidade, ele pediu para que o sobrenome Xavier também fosse acrescentado ao seu.

Veja mais: Christiane Torloni fala sobre a dor da perda do filho

De acordo com o site Revide, o pedido de Eurípedes do reconhecimento da paternidade se deu, principalmente, porque algumas pessoas utilizam o nome indevido do médium para a obtenção de lucro.

Mas a decisão da justiça acabou não favorecendo Eurípedes, pois apesar da proximidade e do carinho que Chico tinha por Eurípedes, em nenhum momento, segundo provas levantadas pela defesa, Chico externou o desejo de ser pai de Eurípedes.

O advogado de defesa, Paulo Henrique Marques de Oliveira, explica que o pedido de paternidade socioafetiva, após a morte, só é possível se a pessoa procurada como pai externou este desejo em vida.

Veja mais: Como entender o atentado à escola em Suzano (SP) na visão espírita?

<!–OffMiddle–> <!–OffEnd–>

Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu