Mensagens Espíritas de Natal de Chico Xavier

Mensagens Espíritas de Natal de Chico Xavier

As mensagens espíritas de Natal de Chico Xavier que você verá a seguir foram selecionadas a partir de uma obra em particular psicografada pelo mesmo. Tais mensagens foram ditadas por amigos espirituais diversos:

Jesus Para o Homem (Emmanuel – Chico Xavier)

“E achado em forma como homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte de cruz”. – PAULO (Fillipenses, 2:8).

O Mestre desceu para servir.
Do esplendor à escuridão…
Da alvorada eterna à noite plena…
Das estrelas à manjedoura…
Do infinito à limitação…
Da glória à carpintaria…
Da grandeza à abnegação…
Da divindade dos anjos à miséria dos homens…
Da companhia de gênios sublimes à convivência dos pecadores…
De governador do mundo a servo de todos…
De credor magnânimo a escravo…
De benfeitor a perseguido…
De salvador a desamparado…
De emissário do amor à vítima do ódio…
De redentor dos séculos a prisioneiro das sombras…
De celeste pastor à ovelha oprimida…
De poderoso trono à cruz do martírio…
Do verbo santificante ao angustiado silêncio…
De advogado das criaturas a réu sem defesa…
Dos braços dos amigos ao contacto de ladrões…
De doador da vida eterna a sentenciado no vale da morte…
Humilhou-se e apagou-se para que o homem se eleve e brilhe para sempre!
Oh! Senhor, que não fizeste por nós, a fim de aprendermos o caminho da Gloriosa
Ressurreição no Reino?

Abaixo seguem outras mensagens espiritas de Natal de Chico Xavier, porém esta próxima foi psicografada por ele, mas ditada pelo espírito Irene S. Pinto. Uma belíssima rima!

Irene S. Pinto foi uma poetisa que nasceu em 1887 e desencarnou em 1944. No Cemitério da Consolação, em São Paulo, os seus filhos mandaram gravar o belíssimo soneto chamado de “Último desejo”, de autoria de Irene. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Natal (pelo espírito Irene S. Pinto)

Natal! Grande bolo à mesa.
A árvore linda em festa.
O brilho da noite empresta;
Regozijo ao coração…
É como se a Natureza
Trouxesse Belém de novo
Para os júbilos do povo
Em doce fulguração.
Tudo é bênção que se enflora,
De envolta na melodia
Da luminosa alegria
Que te beija a segue além…
Mas se reparas, lá fora,
O quadro que tumultua,
Verás quem passa na rua
Sem ânimo e sem ninguém.
Contemplarás pequeninos
De faces agoniadas,
Pobres mães desesperadas,
Doentes em chaga e dor…
E, ajudando aos peregrinos
Da esperança quase morta,
Talvez enxergues à porta
O Mestre pedindo amor.
É sim!… É Jesus que volta
Entre os pedestres sem nome,
Dando pão a quem tem fome,
Luz às trevas, roupa aos nus!
Anjo dos Céus sem escolta,
Embora a expressão serena,
Tem nas mãos com que te acena
Os tristes sinais da cruz.
Natal! Reparte o carinho
Que te envolve a noite santa
Veste, alimenta e levanta
O companheiro a chorar.
E, na glória do caminho
Dos teus gestos redentores,
Recorda por onde fores
Que o Cristo nasceu sem lar.

As mensagens espíritas de Natal de Chico Xavier apresentadas nesse artigo, em verdade não são de sua própria autoria, mas sim psicografadas por ele.

Esta próxima mensagem, dessa vez, foi ditada pelo Espírito do Cassimiro Cunha, um poeta fluminense, nascido na cidade de Vassouras.

Súplica do Natal ( Pelo espírito Cassimiro Cunha)

Na noite santificada,
Em maravilhas de luz,
Sobem preces, cantam vozes
Lembrando-Te, meu Jesus!

Entre as doces alegrias
De Teu Natal, meu Senhor,
Volve ao mundo escuro e triste
Os olhos cheios de amor.

Repara conosco a Terra,
Angustiada e ferida,
E perdoa, Mestre Amado,
Os erros de nossa vida.

Onde puseste a alegria
Da paz, da misericórdia,
Desabam tormentas rudes
De iniquidade e discórdia.

No lugar, onde plantaste
As árvores da união,
Vivem monstros implacáveis
De dor e separação.

Ao longo de Teus caminhos
Sublimes e abençoados,
Surgem trevas pavorosas
De abismos escancarados.

Ao invés de Teus ensinos
De caridade e perdão,
Predominam sobre os homens
A sombra, o crime, a opressão.

Perdoa, Mestre, aos que vivem
Erguendo-Te a nova cruz!
Dá-nos, ainda, a bonança
De Tua divina luz.

Desculpa mundo infeliz
Distante das leis do bem,
Releva as destruições
Da humana Jerusalém…

Se a inteligência dos homens

Claudicou a recaiu,
A Tua paz não mudou
E ao Teu amor não dormiu.

Por isso, ó Pastor Divino,
Nos júbilos do Natal,
Saudamos a Tua estrela
De vida excelsa e imortal.

Que o mundo Te guarde a lei
Pela fé que nos conduz
Das sombras de nossa vida
Ao reino de Tua luz!

Algumas das mensagens espíritas de Natal de Chico Xavier eu considero até um pouco triste, mas sempre com um final consolador. Tais mensagens espíritas de Natal de Chico Xavier com teor mais tristonho servem para nos fazer refletir sobre aquelas pessoas enfermas, que não passarão um Natal tão agradável quanto nós.

A mensagem de Natal de Chico Xavier que vem a seguir foi ditada pelo espírito de Cornélio Pires, um jornalista, escritor, folclorista, empresário e ativista cultural brasileiro. A característica marcante de seu trabalho era representar o cenário caipira brasileiro.

Natal de Maria (pelo espírito Cornélio Pires)

Noite… Natal!… Na hora derradeira,
Sozinha num brejão, com sede e fome,
Morre jogada à febre que a consome
A velhinha Maria Cozinheira…

Lembra o Natal dos tempos de solteira,
Olha a esteira enrolada e o chão sem nome,
Mas, de repente, vê que tudo some,
Está livre do corpo e da canseira!…

Ouve cantos no céu que se descerra:
– “Glória a Deus nas Alturas!… Paz na Terra…”.
Maria, sem querer, sobre espantada…

Nisso, irrompe do Azul divina estrela…
Alguém surge!… É Jesus a recebe-la
No sublime clarão da madrugada.

Veja mais:

 

Fonte: Todas as mensagens de natal de Chico Xavier contidas nesse artigo foram retiradas da obra Antologia Mediúnica do Natal (Francisco Cândido Xavier ditada por diversos autores)

Tags adicionais: mensagem espirita de natal e fim de ano, psicografia de chico xavier, mensagem espirita de natal, mensagem de natal espirita, mensagem espirita de natal e ano novo, mensagem espirita natal jesus, mensagem natal espirita chico xavier
Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu