A vida EXTRATERRESTRE, por Chico Xavier e Kardec

A vida EXTRATERRESTRE, por Chico Xavier e Kardec

A vida EXTRATERRESTRE, por Chico Xavier e Kardec
4 (80%) 2 votes

Geraldo Lemos Neto é a pessoa que nos oferece este conhecimento das suas vivências com Chico Xavier, através de suas palestras. Geraldo, conterrâneo de Chico Xavier, mineiro de Belo Horizonte, de família espírita, nascido em 1962. Conheceu a Doutrina Espírita desde muito jovem, ingressando no movimento espírita pela influência de sua família materna, a família Machado de Pedro Leopoldo. Em 1981 conheceu pessoalmente Chico Xavier com quem desenvolveu grande amizade.

Seguindo recomendação do próprio Chico, Geraldo iniciou pelo Cenáculo Espírita Antônio de Pádua e pela União Espirita Mineira então dirigida por Dª Neném Aluotto e Martins Peralva, chegando a participar da Mocidade Espírita O Precursor e da Cantina Francisco de Assis, ambos da União Espírita Mineira. Fundou o Departamento Editorial da União Espírita Mineira em 1984 onde coordenou a publicação de 12 livros, sendo 10 deles da lavra de Chico Xavier. Então, não estamos falando de qualquer palestrante que apurou escritos aleatórios  sobre a vida extraterrena, pois Geraldo é ainda o autor da biografia Chico Xavier – Mandato de Amor, lançada pela União Espírita Mineira para comemorar os 65 anos de mediunidade de Chico Xavier em 1992.

Dessa forma, muita informação preciosa poderia sair dessa parceria.

Em palestra no Broward Spiritist Society nos dias 14/01/2017 e 16/10/2017 em Pompano Beach, Florida – EUA, Geraldo associa os conhecimentos de Kardec e Chico Xavier para o entendimento da vida extraterrestre, e incita-nos a indagar o por quê de tal assunto ser um tabu, ainda dentro dos próprios centros espíritas do Brasil e do mundo, que deveriam ser fontes de tal informação ou seja, de onde deveria partir muita naturalidade sobre o que vai ser falado, já que o próprio Kardec falou naturalmente sobre o assunto há mais de 160 anos.

Há 2000 anos  Jesus falou assim, no evangelho de João, capítulo 14, vers. 2: “Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito”Dessa forma, para os espíritas, Jesus citou algo que nas palavras de Kardec chama de “pluralidade dos mundos”. Obviamente Jesus, naqueles tempos tão remotos, não poderia ser 100% claro, pois aquele povo ainda era muito ignorante para entender tudo o que ele tinha a ensinar e, mesmo que quisesse falar claramente, aquele povo não iria entender.

Na TV Tupi, no início dos anos 70, Chico Xavier estrelou um programa chamado Pinga-Fogo, onde eram oferecidas perguntas para Chico e o mesmo respondia prontamente de acordo com o conhecimento da Doutrina Espírita. Em uma das apresentações, Chico revela: “Nós vamos compreender que fazemos parte de uma família universal, que não somos o único mundo criado por Deus”. Dessa forma, Chico Xavier se tornou a primeira personalidade religiosa a admitir a crença em vida extraterrestre.

Dentro da mesma fala citada acima, Chico revela que existe um prazo de 50 anos para que os humanos da Terra aguentem suas diferenças e evitem iniciar um conflito armado de grandes proporções (uma nova guerra mundial). Tal prazo começou a partir do ano em que o homem pisou na Lua, ou seja, em 1969. Se assim for, viveremos um período de conquistas extraordinárias em diversos aspectos, inclusive em pesquisas espaciais, podendo, o homem, explorar a Lua de uma forma mais efetiva e, ainda, conseguiríamos obter contato com seres diversos do nosso universo.

Geraldo é feliz em falar do que vivemos hoje em dia no tocante aos flagelos humanos, dos terremotos e demais tragédias que nos assolam, preparando a Terra para os novos tempos, porém jamais para o fim do mundo, citando que não existe esse tal “fim do mundo”, mas sim o “fim do velho mundo”, ganhando um contexto bem diferente. Assim como diz Kardec: “Anunciando a época de renovação que se havia de abrir para a Humanidade e determinar o fim do velho mundo, a Jesus, pois, foi lícito dizer que ela se assinalaria por fenômenos extraordinários, tremores de terra, flagelos diversos, sinais no céu, que mais não são do que meteoros, sem ab-rogação das leis naturais.”

Bem ao contrário do que os filmes hollyudianos retratam, os extraterrestres não teriam intenções hostis conosco. Essa coisa de imperialismo, onde os mais evoluídos ocupam as terras dos mais atrasados é ignorância da mente limitada humana. Segundo os relatos de Geraldo, os extraterrestres são deveras preocupados com nossa conduta armada, estando apreensivos quanto ao mal uso da sabedoria nuclear, que usamos para construir armas de destruição em massa.

Sobre a vida e lar desses seres, Kardec expõe: “Chegamos, pois, por um simples raciocínio, que muitos outros fizeram antes de nós, a concluir pela pluralidade dos mundos, e esse raciocínio se encontra confirmado pela revelação dos Espíritos. Eles nos ensinam, com efeito, que todos esses mundos são habitados por seres corpóreos apropriados à constituição física de cada globo; que, entre os habitantes desses mundos, uns são mais, outros são menos, avançados do que nós do ponto de vista intelectual, moral e mesmo físico. Ainda mais, hoje, sabemos que podemos entrar em relação com eles, e deles obter notícias sobre o seu estado; sabemos, ainda, que não só todos esses globos são habitados por seres corpóreos, mas, que o espaço está povoado por seres inteligentes, invisíveis para nós por causa do véu material lançado sobre a nossa alma, e que revelam a sua existência por meios ocultos ou patentes. Assim, tudo é povoado no Universo, a vida e a inteligência estão por toda parte: sobre os globos sólidos, no ar, nas entranhas da terra, e até nas profundezas etéreas.” (REVISTA ESPÍRITA JORNAL DE ESTUDOS PSICOLÓGICOS PUBLICADA SOB A DIREÇÃO DE ALLAN KARDEC ANO 1 – MARÇO 1858 – Nº. 3)

 

Gostou? Então COMPARTILHE!
Fechar Menu