Afinal, O que é ser espírita?

Afinal, O que é ser espírita?

Afinal, O que é ser espírita?
5 (100%) 11 vote[s]

Sempre existem pessoas que se perguntam o que é, de verdade, ser uma pessoa espírita e como eles devem agir. No texto abaixo, você terá um breve resumo que abrirá um leque para novas reflexões:

Ser Espírita é, em primeiro lugar, praticar os ensinamentos de Jesus e não apenas acreditar nele.

O Espírita deve seguir principalmente o ensinamento de Jesus que diz: “Amar a Deus sobre todas as coisas e amar o próximo a ti mesmo”.

O Espírita deve ter como Objetivo Amar a Deus e Amar o Próximo, independente do que lhe ocorra.

Ser Espírita não é apenas acreditar em Espíritos, acreditar em Mediunidade, acreditar em fenômenos inexplicados.

Veja mais: 4 Leis Espirituais ensinadas na Índia que farão sua vida ficar mais leve

Ser Espírita é principalmente acreditar em Deus, na essência da vida, no espírito eterno e imortal que somos e procurar expressar tudo isso em sua vida prática.

Ser Espírita é procurar ser melhor a cada dia. É fazer o bem sem olhar a quem. É dar sem esperar receber em troca. É entender o outro e se colocar em seu lugar.

Ser Espírita é aceitar suas imperfeições; aceitar nossos defeitos; aceitar nossas limitações; aceitar que ainda temos muito o que aprender.

Frase de Fei Luiz sobre o Espiritismo
Frase de Fei Luiz sobre o Espiritismo.

Veja mais: Diarista é demitida por ser espírita e recebe mais de 30 propostas de emprego

Ser Espírita é, tal como disse Jesus, se fazer inocente como as crianças. É aceitar que não sabemos tudo, que não somos os donos da verdade e que não somos melhores do que ninguém.

Ser Espírita é entender que nossa religião não é melhor do que qualquer outra, mas sim que qualquer religião é boa desde que faça a pessoa melhor.

Não importa a religião que a pessoa segue, importa apenas ela saber aproveitar os ensinamentos religiosos para evoluir e se elevar.

Veja mais: Quando alguém entra na sua vida e depois vai embora, pode ser qualquer coisa menos amor

Ser Espírita é não tentar convencer os outros a serem Espíritas ou a aceitarem seus princípios, mas sim respeitar a fé de cada e o grau de consciência que a pessoa se encontra.

O verdadeiro Espírita não cultiva dogmas ou verdades prontas, mas mantém sua mente e seu coração abertos, além de não idolatrar ou cultuar a personalidade de ninguém.

Veja mais: Filho fala sobre manias e detalhes em carta psicografada que só a mãe poderia confirmar

Ser Espírita é não ficar segregando os outros; não ficar dividindo o movimento entre Espíritas ortodoxos e Espíritas liberais; não ficar impondo sua própria visão do que seja o Espiritismo.

O Espírita que fica tentando impor o que é e o que não é o Espiritismo ainda não entendeu a essência da doutrina.

Ser Espírita é admitir que o Espiritismo pode ser entendido e vivenciado de diversas formas, respeitando a individualidade de cada um, sem imposições, sem censuras e sem proibições de nenhum tipo.

Ser Espírita é não julgar, não rotular, não tentar encaixar o outro em padrões pessoais de certo e errado. É deixar o outro ser como quiser ser.

Veja mais: O Espírita no velório: o jeito mais sensato de agir

O Espírita não condena antes da hora e não fala sem conhecer.

Ser Espírita é não mentir, não dissimular, não manipular e nem tentar controlar o outro de acordo com sua vontade.

Ser Espírita é ter humildade, é cultivar a compreensão com todos. é responder com amor mesmo àqueles que nos fazem mal, é respeitar cada ser da criação, por menor que seja, é ser compassivo com todos, pacífico em cada ato, puro de coração e sincero em suas ações.

Ser Espírita é despertar a equanimidade e ser livre, totalmente livre de qualquer prisão mental e emocional.

Texto de autoria de Hugo Lapa.

Veja mais: Lindo caso de Chico Xavier e o retorno da sua cadelinha Boneca.

Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu