Psicografia de um pai para acalmar uma solidão que não passa – Pelo médium Fernando Ben

Psicografia de um pai para acalmar uma solidão que não passa – Pelo médium Fernando Ben

Psicografia de um pai para acalmar uma solidão que não passa – Pelo médium Fernando Ben
5 (100%) 3 vote[s]

Nota: Este texto foi transcrito a partir de um vídeo publicado no canal da equipe próprio médium Fernando Ben. Devido o áudio não estar totalmente claro, alguns nomes citados podem ter sofrido algumas variações e a equipe do nosso blog.

A carta a seguir foi transcrito a partir de um vídeo compilado de eventos realizados pela Casa de Fátima, em Sepetiba, no Rio de Janeiro (RJ), entre os dias 17 de fevereiro e 17 de março de 2019.

O médium responsável pela psicografia é Fernando Ben, que viaja pelo país com a equipe da Cartas de Fátima, realizando este excelente trabalho de consolação.

Veja mais: “Me matei para que ele sentisse remorso para o resto da vida” – Uma história de Divaldo Franco

A agenda do médium está logo no final deste texto, num link onde o leitor poderá clicar e ficar inteirado sobre a passagem do médium pelos diversos centros espíritas do país.

Início da psicografia:

Ontem cheguei em casa, entrei, e passei pelo portão, sem precisar abri-lo. Olhei de relance o estado do chão, admirei a entrada e logo fui avistando alguns familiares, afetos, amores, pessoas que fizeram e fazem parte da minha vida.

Eu falo vida, pois em nenhum momento após a morte do corpo físico me senti morto. Pude lembrar de tantas coisas.

Veja mais: Quando alguém entra na sua vida e depois vai embora, pode ser qualquer coisa menos amor

Os mentores espirituais já sabiam que estava me preparando para escrever e eu fui sentindo o nervosismo da hora chegar. Sei que alguns dos familiares sentiram isso também.

Bem, antes que chegue a hora de dizer “até logo”, quero deixar o abraço na Lílian, no Tadeu também. DIzer a ela que eu sei o que se passa em seu coração.

E que haverá situações no futuro em que haverá mais paz a esta solidão que você sente e não quer passar.

Saiba que as pessoas poderão não lhe entender, mas eu entendo você. Seja forte, pois o amor não morre jamais.

Veja mais: Psicografia de um espírito que foi extremamente apegado aos bens materiais

Se preocupe menos e faça mais. Aproveito para deixar um abraço de saudade na Neila. Dizer que sinto a falta de brincar e de dar sustos nela, ou de ficar olhando quando ela nem sabia que eu fazia.

Dê um abraço por mim, no caso, na Larissa, na Indrid e no Everton também.

Às vezes me preocupo um pouco com a Ingrid. Ela é inteligente e intensa demais, mas sei que a inteligência dela vai ajudá-la onde ela estiver.

Queria deixar um abraço de saudade na Lívia, pois sei que muito ela precisa desabafar, colocar pra fora.

Veja mais: Nunca saia de casa com raiva de quem ama, pode ser a última vez!

Por favor, querida deixe um beijo na Mariana, que ela viva tudo como se fosse a primeira vez.

E eu deixo o meu abraço mais especial para a querida Sandra, que tanto me ajudou, tanto me entendeu… Hoje, quando olho para a eternidade, eu não penso mais com a perspectiva de antes.

Hoje o tempo está ao meu favor. Tenho mais paciência por isso.

Deixo meu abraço na Vandinha, estimo melhoras e paz para os dias que lhe faltam na Terra.

Veja mais: Psicografia: Fabíola conta como desencarnou em meio à festa e às drogas

Por fim, eu deixo meu abraço de gratidão no Emerson.

Hoje quando saí de casa, saí em paz, por saber que um pedaço meu iria se registrar e nele iria se fortalecer a esperança no coração de quem eu amo.

Eu sei que quando aqui eu voltar novamente será com muito mais paz.

Se amem, saiam juntos, se divirtam mais, como fazem em algumas situações.

Acreditem no amor, pois só ele repousa na real paz.

O pai, o avô, o esposo, o genro… Ângelo Neto de Souza.

Veja mais: Chico Xavier psicografa para pais que tiveram filha assassinada

Relato da filha e família que recebeu a carta no evento: “Nós recebemos a carta do Ângelo Neto de Souza, meu pai. Nós autorizamos a divulgar essa carta para ajudar a outras pessoas a acreditarem que existe a vida após a morte, que a morte não é um final.

Eu agradeço imensamente, é uma emoção sem igual receber esta carta. Nós não falamos nada (referindo-se ao contato anterior com o médium), ele falou de toda a família. Eu comentei com o Fernando (o médium), que eu senti ele (o pai) mexendo no meu pé.

E ele falou na carta que sentia falta de brincar comigo, de me “assustar”, como ele sempre fazia. Então, quer dizer…. Não tem explicação, só muita emoção. Só Deus”.

Clique no link a seguir para FICAR INFORMADO SOBRE A AGENDA DO MÉDIM FERNANDO BEN

Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu