Por que temos que reencarnar várias vezes na Terra?

Segundo o O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, os seres humanos devem passar por várias experiências na Terra. Mas por quê?

A reencarnação é um processo aceito pelos espíritas. A necessidade de expiar seus pecados na próxima vida é bem conhecida. Mas há outras razões para o renascimento. o espírito de Andre Luiz aprofunda essa necessidade de experiências variadas e lança luz sobre as complexidades de nosso aprendizado aqui na terra.

Todo esse conhecimento foi abordado em alguns de seus livros através da mediunidade de Chico Xavier.

A percepção mais comum sobre a necessidade de cada vida sucessiva é a exigência de quitar nossas dívidas contraídas em nossa vida anterior.

O próximo pensamento que vem a nós é a necessidade de realizar boas ações e ser uma influência positiva para aqueles que nos rodeiam. Embora tudo isso seja verdade, existem razões mais complexas de trabalho, que são as missões, ou melhor dizendo, as encarnações missionárias.

Geralmente, ao retornar ao reino físico, quase todos perdemos oportunidades significativas enquanto desperdiçamos nossas energias fisiológicas. Andamos por aí, fazendo algo útil para nós mesmos e para os outros, mas às vezes desperdiçamos cinquenta, sessenta, setenta por cento e muitas vezes ainda mais do nosso potencial.

Em muitas ocasiões, também temos a circunstância agravante de termos usado as energias sagradas da vida em atividades indignas que degradam nossa mente e endurecem nosso coração. No entanto, aqueles que usam sua máquina física como trabalhadores fiéis adquirirão direitos significativos em nosso reino.

Voltar a reencarnar na Terra por uma missão em especial

Como trabalhadores leais e produtivos, aqueles que completam seu trabalho na Terra são livres para escolher seu corpo futuro quando retornam à Terra em missões de amor e iluminação, ou podem receber um corpo físico enobrecido para a continuação de suas tarefas no caminho para círculos mais elevados de vida.

Alguns espíritos encarnados, ou seja, que estão compartilhando a vida conosco, nem mesmo precisariam estar aqui na Terra. Certos espíritos pedem para ter uma nova experiência na Terra como uma forma de missão, ou seja, para que possam fazer um trabalho diferencial que pode impactar a ciência, as artes, as religiões ou a sociedade como um todo.

Devemos renascer várias vezes, pois não se vive apenas uma vida!

Para aqueles que acreditam que precisamos apenas de uma vida para ser puro, é como se quiséssemos ser o presidente de uma grande empresa sem nunca ter trabalhado em outro emprego.

É claro que devemos começar na sala de correspondência e trabalhar em várias posições para compreender completamente como as coisas são feitas e como sobreviver dentro da cultura da organização.

Por mais piedosos que pudéssemos ter começado como um novo espírito, ainda precisaríamos do conhecimento necessário para obter nossa elevação.

Para que um espírito complete uma passagem por um plano, como na Terra, não é necessário apenas ter alcançado certo grau de pureza. É preciso que o intelecto do espírito também esteja o suficientemente desenvolvido para que possa “ser promovido” de planeta.

Quando um espírito reencarna na Terra várias vezes, ele não precisa ficar preso ao desenvolvimento somente de uma área do conhecimento, por exemplo, a ciência. Ele retornará quantas vezes for necessário para que obtenha atributos de outras formas de conhecimento.

Somente através de rigorosas provações é que temos a mistura certa de crenças e conhecimentos para reencarnar com boas perspectivas de sucesso e ser um trabalhador valioso no reino espiritual.

Se este artigo foi útil para você, COMPARTILHE com mais pessoas. COMPARTILHE em GRUPOS ou PÁGINAS do FACEBOOK!

https://youtu.be/8COAGE69NOY
Gostou? Então COMPARTILHE!
Avatar

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.