Um sapateiro ficou chocado ao saber que ele era um espírito superior

Um sapateiro ficou chocado ao saber que ele era um espírito superior

Um sapateiro ficou chocado ao saber que ele era um espírito superior
5 (100%) 2 vote[s]

Há espíritos elevados entre nós, disso não nos restam dúvidas. A maioria deles leva uma vida simples e humilde, em total anonimato. Assim foi a vida do sapateiro. Seu nome, não importa no momento.

Pessoas que têm quase nada, ainda são gentis, generosas e carinhosas. Eles nunca roubam, saqueiam ou destroem o dinheiro das pessoas que estão acima deles financeiramente ou se aproveitam os outros. Eles insistem em permanecer fieis aos seus semelhantes. Estas são as pessoas que devemos idealizar e aguentar para reconhecimento.

Um pobre sapateiro, um sapateiro, que tinha apenas dinheiro suficiente para manter suas necessidades básicas e para custear seu próprio enterro depois da sua morte, ficou chocado ao descobrir quem ele era quando voltou para o plano espiritual.

A história desse sapateiro está documentada no Livro Vida Além do Véu, do espírito Kathleen, escrito pelo Reverendo G. Vale Owen. Foi uma comunicação que  descreve como é melhor para nós escolher um modo de vida honorável e caritativo do que lutar por tanto ganho de material quanto possível nesta vida.

O espírito Kathleen nos diz que, ao curto prazo, pode-se desfrutar das armadilhas do luxo; Esse tempo é muito curto em comparação com a eternidade em que vivemos no mundo espiritual. Fazer sacrifícios e cuidar de outros trazem os verdadeiros benefícios a longo prazo.

O espírito Kathleen forneceu a G. Vale Owen um exemplo de como uma vida deveria ser vivida:

“Ele foi recebido soberbamente por um pequeno grupo de amigos, e estava bem contente porque eles lembraram-se
dele, e deram-se ao trabalho de vir de tão longe à terra para mostrar a ele o caminho da esfera para onde ele deveria ir.

Era uma esfera próxima da Terra, não muito lá no alto. Mas lá, ele encontrou a paz depois de muito trabalho e cansaço na sua batalha contra a pobreza. Para ele, era o céu, e todos eram gentis com ele, e ele estava muito feliz em sua companhia.

Um dia um senhor de uma esfera elevada, um anjo, como geralmente chamamos aqui na Terra, caminhava na rua onde era a casa do sapateiro e entrou nela. Encontrou o sapateiro lendo um livro que encontrara na casa à qual fora levado, e que lhe disseram ser seu lar.

O Anjo Senhor chamou-o pelo seu nome e o sapateiro levantou-se.

“O que está lendo, meu amigo?”, o Anjo perguntou-lhe.

Veja mais:

O homem respondeu: “O que eu leio não me interessa muito, senhor. Não está dentro da minha compreensão, pois, evidentemente, não foi escrito para pessoas desta esfera, mas de uma pessoa muito superior.

“Para que fim foi escrito?”, o Anjo perguntou novamente, e ele respondeu:

“Senhor, ele fala de um estado elevado e um empreendimento de organização de grandes companhias de homens e mulheres nas esferas acima de nós a serviço do Único Pai.”

O humilde homem descreve a leitura, que relatava como eram organizados os espíritos e os seus interesses no plano espiritual, coisa que ainda lhe fugia seu entendimento de homem encarnado. Acrescentou:

“Por isso eu julgo que a vida aqui descrita não seja desta esfera, mas de uma distante acima desta (…) Por esta razão, senhor, isto não é de meu interesse presentemente, mas poderá ser daqui a muito tempo. Como o livro veio parar aqui, não sei lhe dizer”, confessou o sapateiro.

Então o Anjo Senhor tomou o livro e fechou-o e devolveu-o ao sapateiro silenciosamente, e, enquanto ele o pegava das mãos do Anjo, suas faces ruborizaram-se de confusão, porque brilhando na capa estavam gemas de rubi e outras brancas que cintilavam em letras que formaram seu nome em brilho e chamas.

“Mas eu não havia visto isto, senhor”, ele disse. “Eu não vi meu nome ali, senão agora”.

“Mas é seu, como vê,” disse o Anjo Senhor, “e portanto, para sua instrução. Pois saiba, meu amigo, esta esfera é apenas um lugar de descanso para você. Agora que já descansou, deve começar seu trabalho, e que não é aqui, mas naquela alta esfera de que o livro trata e na qual foi escrito”.

O sapateiro não conseguia falar, porque estava com medo e encolheu-se e inclinou sua cabeça diante das palavras do Anjo. Apenas isto ele pôde dizer, “Eu sou um sapateiro, senhor; não sou líder de homens. E eu estou contente com o lugar humilde neste lar brilhante que é o Céu, indubitavelmente, para os que são como eu”.

Mas o Anjo disse, “Agora, apenas pelo que disse, você deveria ter uma promoção. Pois você deve saber que a humildade é uma das proteções e salvaguardas certas daqueles que permanecem nos altos lugares de comando. Mas você tem mais armas que esta proteção de humildade, que é protetora de uma forma passiva. Armas de ofensiva que você também temperou e afiou naquela vida na terra.

Quando você fazia botas, seus pensamentos eram para fazê-los de tal forma que aguentassem um longo uso e protegessem o bolso de seu pobre comprador. Você pensou mais nisso que no preço que cobraria. Isto, sem dúvida, você fez ser uma regra; aquela regra cresceu em você e tornou-se parte de seu caráter. Aqui, tal virtude não é pouco estimada.”

Evidentemente o sapateiro se concentrou mais nas pessoas que ele poderia servir do que a quantidade que ele ganharia – percebemos então o quão longe do verdadeiro espírito da caridade estamos. O alto anjo disse ao sapateiro, que a “regra tornou-se parte do seu personagem” é exatamente por isso que estamos aqui na Terra, para aprender a internalizar esses traços para tornarem-se partes integrantes da nossa atitude diária.

Isso é tudo o que precisamos saber sobre o motivo pelo qual precisamos reencarnar – tudo o que precisamos para saber como ascender no reino espiritual. Imagine viver em um mundo onde todos seriam como o sapateiro. Onde cada ação é medida contra o bem que poderia fazer, não o lucro que poderia oferecer.

Veja mais:

Encerrando a história, o sapateiro ajoelhou-se e colocou sua face no chão aos pés do Anjo e lamentou e disse, “Se eu fosse apto, senhor, para este grande serviço… Mas, ai de mim, não o sou. Nem conheço este grupo, nem sei se me seguiriam”.

E o Anjo replicou, “As mensagens vêm d’Aquele Que não erra na escolha das pessoas. Venha, você não encontrará um grupo de estranhos ali. Porque, frequentemente, quando seu corpo cansado dormia, você foi levado àquela mesma esfera, sempre, mesmo na sua vida na terra isto foi feito. Ali você também foi treinado, e ali aprendeu, primeiro a obedecer, e mais tarde a comandar. Você irá conhecê-los bem quando os vir, e eles também o conhecem bem. Ele será sua força, e você cumprirá corajosamente”.

Então ele o levou para fora de casa, e pelas ruas desceram, passando à trilha da montanha em frente. Conforme iam andando, sua roupa tornou-se mais brilhante e mais leve na textura, e seu corpo ganhou estatura e muita iluminação, e, enquanto subiam, desta forma o sapateiro ia ficando para trás, para surgir emergente o Príncipe e Líder.

Fontes:

  • Livro: Vida Além do Véu, do Reverendo G. Vale Owen;
  • Brian Foster

 

 

Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu