Que tipos de sintomas os fluidos do Carnaval podem causar nos sensitivos?

Que tipos de sintomas os fluidos do Carnaval podem causar nos sensitivos?
5 (100%) 10 vote[s]

Esta matéria foi baseada numa palestra realizada pelo Hospital Espiritual Maria Cláudia Martins. Nosso blog utilizou o método de transcrição do áudio para separar as principais falas e montarmos o texto que segue abaixo.

Como fica o plano espiritual durante o Carnaval?

Iremos falar sobre os fluidos do carnaval. Um material devidamente estudado, analisado para que nos dê condições de enfrentar esse período, que são as festas carnavalescas. Em especial, logicamente, para as pessoas que tem predisposição orgânica para isso, que nós vamos ver que são os sensitivos. Nós vamos abordar… verificarmos porque uns sentem e outros não sentem.

Na Revista Espírita de maio de 1867, Allan Kardec faz um estudo também sobre a atmosfera espiritual, fazendo compreender a ação dos fluidos e ele diz mais uma vez que “os pensamentos atraem os pensamentos de mesma natureza”.

Esta matéria está fundamentada na obra do Espírito Manoel Philomeno de Miranda, chamado “Nas Fronteiras da Loucura”. O título já é bem sugestivo.
Nessa obra, Manoel Philomeno de Miranda, através da psicografia de Divaldo Pereira Franco, faz uma análise detalhada sobre o carnaval do Rio de Janeiro, que foi o modelo que ele tomou, no ano de 1982.

E por que a gente está trazendo uma obra de Manoel Philomeno de Miranda para servir de modelo para a gente como proteção, já que quem está aqui, com certeza, todos têm sensibilidade? A diferença está na amplitude, na ostensividade dessa sensibilidade, e todos vamos ver que a forma como Manoel Philomeno de Miranda nos coloca, faz a gente refletir um pouco, principalmente quando você já foi um folião.

Pegando a introdução da obra de Manoel Philomeno de Miranda, ele nos traz uma informação bastante interessante que a gente, às vezes, na teoria, já fala: “nós convivemos com duas populações. Uma visível e outra invisível que se misturam, sustentando e disputando os mais perturbados desejos”.

Tem gente que chegar firmar, categoricamente nessa época, que no carnaval tudo pode. Veja o grau de delinquência que moral que a gente pode chegar. Além dessa perturbação, isso forma entre os participantes do carnaval uma simbiose psíquica (quando há vários seres pensando da mesma forma), emitindo e emanando nuvens psíquicas de eletromagnetismo negativo, que são imperceptíveis aos olhos humanos.

O autor faz uma listagem, em vários pontos da obra, dos tipos de espírito que vêm para “brincar” o carnaval com os encarnados. Alguns desse espíritos estão em desencarnado e estado de putrefação, do jeito que estão lá no mundo inferior, e vão se meter na folia como se vivos estivessem. Aí é nessa hora que é que vão se aproximar de alguém, vão vampirizar as energias e vivos vão se sentir. Tem ainda os espíritos em forma de ovóides, porque o momento é bastante propício para eles se alimentarem. Os ovóides se agarram os vivos provocando neles, às vezes, convulsões, ou depois do Carnaval, feridas, que para a medicina não entende a razão daquela ferida não ter cicatrizado usando medicação material.

Veja mais: Como saber se tem um espírito perto de mim? — Por Divaldo Franco

Desce também irmãos maléficos, até criminosos, que induzem o ser humano a matar, roubar, a praticar aberrações das mais diversas, apesar da espiritualidade superior não permitir que todos venham para a terra. Existem limitações! Existem proibições. Muitos querem vir à terra, mas não tem a permissão, porque já pensou se todos esses irmãos que vivem num baixo plano, no mundo inferior, no umbral, tivessem a liberdade de ir e vir? Com certeza seria complicado!

Existem os espíritos compulsivamente sexuais. E as pessoas que tem tendência nesse mesmo aspecto podem ser acompanhadas por tais espíritos que potencializam ainda mais tais desejos, fazendo com que elas se “libertem” no período carnavalesco. Um grande problema nesse aspecto são as doenças, que podem atingir as pessoas num processo de curto, médio ou longo prazo.

A coisa é tão séria que existe a necessidade de formulação de equipe socorrista no mundo espiritual, além da criação de prontos socorros espirituais, para atuar durante o carnaval. E quem são atendidos nesses postos de socorro espirituais? São os que morreram por homicídio, que é bastante nessa época; os que morrem por suicídio direto ou indireto; por doenças sexualmente transmissíveis.

Veja mais: Como atuam os socorristas espirituais diante dos desencarnes no Carnaval

Fluidos contaminados no período de carnaval, quais são eles?

Ectoplasma e fluido eletromagnético negativos. No caso do ectoplasma negativo, quando contamina um encarnado sensitivo, este pode passar muito mal. A contaminação por ectoplasma negativo pode causar nos sensitivos: náusea, vômito, diaréia, empachamento com flatulências e gases, amargura na boca, bocejos e espirros incessantes, sonolência, sudorese abundante e febre.

No caso da contaminação por fluido eletromagnético negativo, as manifestações sintomatológicas diferenciam um pouco: sensação de cansaço e mal-estar que pode ser transmitida às pessoas próximas.

Os fluidos eletronegativos são partículas fluídicas modificadas pela ação do pensamento negativo transformadas em correntes elétricas, que atingem as células do sistema nervoso, gerando desequilíbrios energéticos. E o que é que ele sente com essas energias negativas? Tontura, insônia, dor de cabeça, oscilação de pressão arterial, movimentos involuntários quando está dormindo.

Veja mais: Dor de cabeça todos os dias é normal?

Mas isso não é só passível de ocorrer com quem vai para a folia, mas também ocorre com aqueles que recebem os foliões na sua casa. Vamos tomar um exemplo: uma pessoa sai para a noite de carnaval. Este recebe todos estes fluidos e volta para casa na madrugada. Se houver, nessa casa, outras pessoas sensitivas, estas irão sentir as influências desses fluidos trazidos por aquele que caiu na noitada carnavalesca, podendo sentir os sintomas citados acima.

Mas por que uns sentem tanto mal e outros não sentem desconforto nenhum? A questão está justamente num termo que já falamos antes. Na “ostensividade”. Existe um ditado popular muito citado dentro da comunidade espírita: “todos somos médiuns”. Ok! Todos podemos sentir essa influência em algum momento da nossa vida, mas essa ostensividade só algumas pessoas sentem. São chamadas assim Médiuns Ostensivos, aquelas pessoas muito sensíveis às energias (positivas ou negativas) de um ambiente ou de desencarnados que se aproximam. Dessa forma, muitos foliões não vão sentir nada, mas carregam essas energias e contaminam, mesmo que sem saber, ambientes por onde passam.

Os postos de socorro no mundo espiritual, que já falamos mais acima, só atendem e somente socorrem os foliões que tiverem merecimento e pedirem por socorro, em respeito ao livre arbítrio de cada um.
É comum até que os sensitivos, mesmo que não estejam curtindo o carnaval, sejam acompanhados por espíritos que estão no meio das ruas.

Estes sensitivos ao saírem de casa para fazer um simples passeio na rua, ou até ir fazer compras, retornam às suas casas e começam a sentir cheiros estranhos (cigarro, bebida, podridão). É comum, pois estes seres desencarnados sentem uma forte atração pelos sensitivos devido a quantidade de energia que acumulam. Nessa situação é importante sempre fazer pausas no dia para fazer preces, pedindo para o anjo de guarda dele mesmo e deste ser que por ventura esteja o acompanhando, para que assim, sejam neutralizados os fluidos que vão contaminando o ambiente e a pessoa.

Veja mais: Como afastar espíritos obsessores — Por Divaldo Franco

Como se proteger dessas energias durante o período de carnaval?

Não se exponha desnecessariamente a esses ambientes. É mais fácil e menos doloroso se você assumir que tem esse tipo de sensibilidade e ficar um pouco mais recluso.

O exercício da prece, sim! A oração fervorosa é capaz de modificar as moléculas fluidicas contaminadas de qualquer ambiente. Se for necessário, até uma leitura do Evangelho se jaz interessante.

Sempre acionar seu anjo de guarda, seja para você, seja para algum movimento fluídico estranho que você esteja sentindo.

Se alguém chegou alcoolizada em casa por causa do carnaval, não entre em atrito com ela. Você vai baixar sua vibração e vai abrir campo para quem está lá vir até você.

Faça uma pequena leitura do Evangelho. Não há necessidade, nesse caso, de ser como um “Evangelho no Lar”. Basta que seja uma leitura isolada.

Assista a palestra na íntergra: Fluidos do Carnaval

Assista a palestra completa no link a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=HJCLJYa55LM

Tags adicionais: fluidos do carnaval, carnaval e espiritismo, carnaval na visao espirita, visao espirita do carnaval.

Gostou? Então COMPARTILHE!
Avatar

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.