Sobrenatural: O caso do balão no velório

Sobrenatural: O caso do balão no velório

Sobrenatural: O caso do balão no velório
3.5 (70%) 4 votes

Há alguns anos atrás rolou freneticamente nas redes sociais um vídeo de um velório (que não ocorreu aqui no Brasil), onde uma mãe naturalmente chorava, um pouco mais reclusa do que as outras pessoas espalhadas pelo local. Eis que um balão que ornamentava uma espécie de “altar”, onde o caixão da criança se encontrava, se soltou e caminhou, ou melhor flutuou em direção a desconsolada mãe. Bem, o vídeo voltou a circular novamente, e novamente as pessoas começaram a especular sobre a veracidade das imagens.

O tal fenômeno paranormal teria acontecido nas Filipinas. O flagrante foi publicado no Facebook em novembro de 2015 e mostra um trecho do velório de um garotinho chamado Trebby, que morreu aos 7 anos de idade. Segundo os espiritualistas mais otimistas, ou seja, aqueles que pensam que o vídeo é realmente verdadeiro, alegam que o filho tentava fazer contato com a mãe.

Enquanto isso, muitos alegam que a qualidade do vídeo não ajuda na identificação de alguma possível fraude. Os mais céticos costumam enumerar diversas teorias que justificariam o ocorrido e também enumeram possíveis fraudes, apontando que o vídeo poderia estar de trás para frente ou que as leis da física poderiam explicar o ocorrido; porém nada até hoje foi confirmado.

Veja o vídeo:

Em minha opinião pessoal, eu sigo acreditando no vídeo. Porém caso algum dia fosse comprovada a falsidade dele, de que isso iria mudar o fato de que essas manifestações são plenamente possíveis?

Fatos como esse podem ocorrer todos os dias, infelizmente não são todos que tem a oportunidade de serem filmados e, possivelmente os que filmam preferem não deixar fluir pelos meios de comunicação devido ao fato do medo do ridículo, pois ainda vivemos numa sociedade incrédula e dogmática.

Se buscarmos as explicações na literatura Espírita, iremos encontrar no O Livro dos Médiuns, capítulo 5, onde se fala sobre as manifestações físicas:

85. Já dissemos que as manifestações físicas têm por fim chamar a nossa atenção para alguma coisa e convencer-nos da presença de um poder superior ao homem.

88. Essas manifestações não são raras nem novas. São poucas as crônicas locais que não incluem alguma estória desse gênero. O medo, sem dúvida, freqüentemente exagerou esses fatos, dando-lhes, proporções enormemente ridículas em sua transmissão oral.

Em outros capítulos da mesma obra encontramos outros itens, que continuam a explicar os aspectos técnicos dessas ocorrências:

92. A explicação do movimento dos corpos inertes aplica-se naturalmente a todos os efeitos de que acabamos de tratar. Os ruídos, embora mais fortes que os golpes na mesa, tem a mesma causa; o lançamento ou deslocação de objetos é produzido pela mesma força que levanta objetos. Há mesmo uma circunstância que serve de apoio a essa teoria. Poderíamos perguntar onde se encontra o médium, nesses casos. Os Espíritos explicaram que há sempre alguém cujas forças são usadas á sua revelia. As manifestações espontâneas raramente ocorrem em lugares isolados. È quase sempre em casas habitadas que elas se verificam, em virtude da presença de certas pessoas que exercem sem querer a sua influência. Trata-se de verdadeiros médiuns que ignoram as suas faculdades e por isso os chamamos de médiuns naturais. Estão para os outros médiuns na condição dos sonâmbulos naturais para os sonâmbulos magnéticos, e são como eles dignos de observação.

Outro fato que é bastante conhecido pelos espíritas é que este fenômeno, para que ocorra, o espírito comunicante precisaria da utilização de fluidos energéticos de alguém presente naquele ambiente. Diz-se algum médium natural. Mas infelizmente a maioria das pessoas que são capazes de fornecer esses fluidos não sabem disso, atuam de forma inconsciente.

É importante lembram também, que a criança ao desencarnar, provavelmente conservará seu perispírito no estágio infantil por um tempo, até que seja da sua vontade mudar sua aparência, a partir das memórias de vidas anteriores que volta a recordar em tempo oportuno. Pelo tempo recente que o garotinho desencarnou, muito provavelmente não saberia ele a utilizar estes fluidos de modo correto para que alertar as pessoas daquele local, produzindo o efeito que se vê no vídeo.

Então, como poderia o garoto ter movido o balão?

Em minha opinião, os espíritos que cercam o jovem recém desencarnado, digo seu mentor e demais espíritos que estivessem o amparando o tivessem ajudado a desenrolar esse processo.  AJUDANDO A MOSTRAR PARA SEUS PARENTES VIVOS, QUE A VIDA CONTINUA E O AMOR NUNCA ACABA!

Gostou? Então COMPARTILHE!

Este post tem um comentário

  1. Se bem que nas Filipinas as mistificações são abundantes!

Comentários estão bloqueados.

Fechar Menu