Jovens superdotados: Como o Espiritismo explica?

Jovens superdotados: Como o Espiritismo explica?

Avalie esta postagem

Talvez você já tenha assistido na TV, na internet algum caso de crianças superdotadas. Não raramente algum caso é noticiado na imprensa, seja nacional ou internacional. Eles estão espalhados por aí em diversas nações, são de diversas classes sociais. Algumas nascidas em condições difíceis, em países pobres, como o caso de um jovem rapaz, que tem dons na área da medicina cirúrgica, sem nem ainda ter cursado a faculdade. Esses joens, além de nascidos em condições diversas, seus dons também são diferentes entre si. Alguns nascem para as artes, outros para as ciências, enfim.

Quando um caso desses vem à tona, fica difícil conter a curiosidade, até porque a mídia gosta de histórias interessantes, atiçando mais ainda a curiosidade daquelas pessoas que ainda não entendem alguns detalhes que a Doutrina Espírita já tem as respostas há séculos. Nas páginas do O Livro dos Espíritos, livro segundo, capítulo 6, no tocante à lembrança da existência corporal; é possível vermos claramente esta explicação.

Mas de forma mais simplificada, pretendo trazer uma interpretação sintetizada: digamos que na vida presente todos temos alguma aptidão, digo, um talento em específico, pois nossas aptidões do passado ainda estão presentes no espírito, que nada esquece sobre o passado. Porém Deus permite que, na encarnação presente, possamos vir com algumas lembranças dessas aptidões, porém as lembranças não são claras, não sabemos de onde elas vem, mas às vezes temos a impressão que já sabemos daquilo há algum tempo, pois muitas vezes aprendemos determinada coisa numa velocidade maior do que outras pessoas que tentam aprender. Elas são chamadas no O Livro dos Espíritos de “Ideias Inatas”.

Participe e CURTA da nossa Página do Facebook, clicando aqui.

Segundo O Livro dos Espíritos, pergunta 219: Qual a origem das faculdades extraordinárias dos indivíduos que, sem estudo prévio, parecem ter a intuição de certos conhecimentos, o das línguas, do cálculo,etc.?

“Lembrança do passado; progresso anterior da alma, mas de que ela não tem consciência. Donde queres que venham tais conhecimentos? O corpo muda, o Espírito, porém, não muda, embora troque de roupagem”.

No sentido contrário, pode ocorrer um bloqueio mais forte das lembranças e, por isso, por mais que no passado, por exemplo, tenhamos sido um grande médico, ou engenheiro; no tempo presente, o planejamento da encarnatório decidiu que estas lembranças deveriam manter-se latentes, pois outras aptidões, ou melhor, outros talentos teriam de ser explorados. Muitas vezes os talentos que não podemos desenvolver novamente nessa vida estão bloqueados, ou melhor, latentes, pois em teoria teríamos exercido mal estes conhecimentos no passado. Simplificando melhor, poderíamos ter feito o mal utilizando tais conhecimentos.

Citando novamente O Livro dos Espíritos, na pergunta 220: Pode o Espírito, mudando de corpo, perder algumas faculdades intelectuais, deixar de ter, por exemplo, o gosto das artes?

“Sim, desde que conspurcou a sua inteligência ou a utilizou mal. Depois, uma faculdade qualquer pode permanecer adormecida durante uma existência, por querer o Espírito exercitar outra, que nenhuma relação tem com aquela. Essa, então, fica em estado latente, para reaparecer mais tarde.”

Seria muita ingenuidade dizer que, em todos os casos, os talentos se desenvolvem do nada, sem nem uma noção introdutória sobre aquilo que será desenvolvido. Alguns dos casos um pouco mais raros, sim, é possível, mas a maioria deles, assim como eu ou você temos nossa própria aptidão, que podem ser desenvolvidas na escola ou instituições de ensino diversas. Exemplificando, quando temos um espírito destinado para ser um matemático extraordinário chega a terra reencarnado, não significa dizer que exercerá os conhecimentos logo nos primeiros anos de vida. A própria espiritualidade, no planejamento encarnatório definiu o melhor momento propício para que venha a desabrochar as ideias inatas e delas fazer seu alicerce para a determinada ciência.

Um caso bem interessante: O jovem indiano é o cirurgião mais novo do mundo

Nascido em 23 de abril de 1993, numa família pobre Rajput da cidade de Himachal Pradesh, na Índia, desde a sua infância, Akrit demonstrou habilidades incomuns: começou a falar no 10° mês de idade; aos 2 anos de idade começou a escrever e a ler apenas olhando as páginas dos livros; começou a ler avidamente tudo o que chegava as suas mãos; aos 5 anos começou a ler livros de poesia e peças de Shakespeare; depois desenvolveu uma paixão precoce por livros de Medicina, Anatomia e Cirurgia.

Os professores da sua Aldeia descobriram que Akrit possuía a formidável capacidade da “memória fotográfica”, Resultado de imagem para jovem cirurgiao indiano akritjamais esquecia nada e possuía uma voracidade fantástica em aprender cada vez mais. Aos 6 anos, fazia discursos altamente complexos sobre temas de medicina, biologia e cirurgia, e debatia com médicos adultos qualquer tipo de tema ligado à Ciência Médica.

Ele memorizou dezenas de tratados médicos de medicina, anatomia, fisiologia e cirurgia, que são difíceis de ler até mesmo para os especialistas veteranos destas áreas. Akrit solicitou e obteve uma autorização especial para acompanhar e assistir as cirurgias feitas no hospital da cidade.

Aos 7 anos de idade, tornou-se o cirurgião mais jovem do mundo, quando a família de uma menina da sua aldeia solicitou a sua ajuda. A menina havia sofrido um acidente e queimado os dedos, que acabaram colando uns nos outros. Akrit apiedou-se da menina e realizou uma cirurgia extremamente bem-sucedida, que foi filmada e surpreendeu os médicos de todo o mundo.

Após a divulgação do vídeo, tornou-se uma celebridade em toda a Índia, e os cientistas começaram a realizar testes em Akrit para desvendar os segredos da sua inteligência e ele espantou a todos ao obter o grau 146 de QI no seu primeiro teste. Foi convidado pelo governo hindu para estudar na Punjab University aos 11 anos de idade, em 2004. Akrit logo demonstrou outros poderes, como o dom de curar as pessoas apenas colocando as mãos sobre os seus ferimentos, que ele diagnostica instantaneamente as causas, graças à sua memória fotográfica que identifica os sintomas psicobiofísicos de qualquer enfermidade, apenas olhando de relance os pacientes.
Atualmente é estudante da Universidade De Harvard, nos EUA, onde está no 2º ano de um curso de Bacharelado em Zoologia e Botânica; ao mesmo tempo continua com seus estudos autodidáticos sobre medicina e outras áreas da Saúde.

Resultado de imagem para youtube

Inscreva-se no nosso canal no YOUTUBE, clicando aqui

Gostou? Então COMPARTILHE!

Hugo Gimenez

Hugo Gimenez é o editor do blog O Estudante Espírita. Fisioterapeuta formado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), começou suas primeiras leituras da Doutrina Espírita com 15 anos de idade. Hoje em dia, se interessa não só por literaturas próprias do Espiritismo, mas também por assuntos de espiritualidade em geral.
Fechar Menu